I[d]Entidade

A importância do grupo no desenvolvimento do self

Dinâmica dos Espelhos Abril 11, 2008

Filed under: Uncategorized — aveirocoimbra @ 6:20 pm

Na sessão 4 pedimo-vos que escrevessem num espelho fragmentado algumas características sobre vocês próprios e sobre os restantes participantes.

Rapidamente, a mesa foi preenchida com uma imagem multicolor que se desvaneceu pouco a pouco… Simultaneamente, perto de cada um, se construiu um novo espelho, reflexo de algumas impressões que julgávamos serem em relação a nós próprios.

Alguns dias depois, ficam aqui os fragmentos escritos na realidade por cada um e pelos colegas.

 

   

                                         Ana Paula                                            Bárbara                                               Carla

    

                                               Filipe                                                 Joana                                                Marta

 

Que grande desafio… Deixar um comentário ao vosso espelho!

Quem arrisca?

 

“O Eu é um Outro” Abril 9, 2008

Filed under: Uncategorized — paulapinto @ 10:28 pm
Tags:

EU é um outro”: a passagem da primeira pessoa para a terceira assinala o corte entre o sujeito do enunciado e o da enunciação. O eu se descobre outro assim que começa a cantar: “EU é um outro. Azar da madeira que se descobre violino”. Rimbaud

 

Apenas para pensar…afinal quando começa e acaba o “EU”?

Um abraço para todos

Paula Pinto

 

No cimo da ponte… entre o Eu e o Outro Abril 8, 2008

Filed under: Uncategorized — ritarebelo @ 11:51 am

“O que o outro teria feito tão bem quanto tu, não o faças. O que o outro teria dito tão bem como tu, não o digas. O que outro também teria escrito, não o escrevas. Sê fiel ao que existe apenas em ti próprio – e, assim, torna-te indispensável.”

Anónimo

Parámos ambas, a Luciana e eu, inspirando este excerto. “Será mesmo assim? Acreditas em tudo isto?” Pergunta-me ela, numa concordância discordante. Expiro algum brilho nos olhos, já sentada no cimo da ponte. De cada lado, uma parte tão diferente e tão semelhante. Acredito. Acredito que somos especiais nos dons que temos. Acredito que devemos procurar a nossa especialidade e agir em função dela no Mundo. Não nos conhecermos pode por vezes significar que a ponte (que liga o que é distinto) é “sempre” estável. Esqueceremos, então, de nos desafiar…? Faremos, diremos e escreveremos, então, só o que é esperado?

Na ponte, vemos melhor – a nós e aos outros. Na ponte podemos ir ao encontro do outro, podemos construir juntos caminhos na sociedade. Esses caminhos, no entanto, perderiam alguma cor se não fossemos igualmente ao encontro de nós próprios.

Acredito que cada pessoa é, assim, indispensável. E estou a aprender a acreditar em mim.

 

 

 

Quandos nos vemos gregos… Abril 5, 2008

Filed under: Uncategorized — ritarebelo @ 2:38 pm

Não sei quantos já leram “O Mundo de Sofia” de Jostein Gaarder. Recordo-o no início da adolescência, quando eu era outra e eu mesma…

No semestre passado, na sequência de um trabalho que realizei, pude reler algumas passagens deste livro, (re)descobrindo uma expressão que vos queria transmitir.

 

“Os gregos acreditavam que o oráculo de Delfos poderia dar aos homens informação sobre o seu destino. (…) Quem chegava a Delfos tinha primeiro que colocar aos sacerdotes locais a sua pergunta. (…) Desta forma, os gregos podiam servir-se da sabedoria de Apolo, visto que acreditavam que Apolo sabia tudo – passado e futuro. (…) No templo de Delfos havia uma inscrição famosa: CONHECE-TE A TI MESMO!”

(Gaarder, “O Mundo de Sofia”, p.54)

 

Uma breve referência histórica que vai muito para além de simples filosofias. Conhecermo-nos é o primeiro passo para nos aceitarmos. Aceitarmos as nossas conquistas e os erros que cometemos é o primeiro passo para nos amarmos.

Aprender estes passos da coreografia nem sempre é fácil, mas será, de certeza, muito importante para nós enquanto pessoas. Quando dançamos, os outros podem apreciar a elegância e a leveza deste caminhar. Nenhum de nós dançará como outrém, do mesmo modo que ninguém poderá dançar como nós. E na música da vida, os nossos alunos merecem ser absolutamente “criativos”!

Por isso, quando se virem “gregos” perante um problema, quando o caminho parecer mais difícil, não se esqueçam… “Gnosei seauton”. Conhece-te a ti mesmo!

 

diários de heróis? Abril 3, 2008

Filed under: Uncategorized — Luciana @ 7:44 pm
Tags:

diarios.jpg

 

Já tiveram a curiosidade de acessar alguns diários de professores disponíveis aqui na Internet?

Talvez o que vejamos não seja muito diferente do que já seja conhecido ou imaginado por nós: todos eles têm um perfil semelhante.

Quotidianos difíceis, salários injustos, cobranças externas…

A ideia que tenho é a de que seja necessário ter mais coragem para abraçar a carreira docente do que para escolher qualquer outra profissão. Será que tinha que ser assim mesmo?

Não é por acaso que exista uma crença comum de que seja preciso ter vocação para ser professor. Mas então pergunto: vocação para quê? Eu imagino que, se vocação fosse de fato pré-requisito, seria para ensinar e não para sofrer.

Há um blog que acompanho faz um tempo. Não concordo muito com o pensamento radical e pessimista de quem o edita (para os entusiastas que acreditam ser o professor um herói, o discurso chega a ser anti-heróico). Mas não deixa de ser um meio importante de ter acesso ao que pensam alguns professores em atividade:

Diário do Professor – informações docentes, discentes e decentes

Declev Reynier

“Muito já me perguntei a respeito e, mesmo tentando afastar quaisquer pensamentos retrógrados reacionários preconceituosos que possa vir a ter – sim, todos nós os temos, o que diferencia é o que nós fazemos com eles! -,  não consigo afastar a idéia de que aqueles mesmos que a ‘sociedade’ chama de ‘pivetes’, ‘ladrões’, ‘traficantes’, etc., nós somos obrigados a tê-los e chamá-los de ‘alunos’” 

http://diariodoprofessor.com/2007/11/16/ser-professor-e-correr-riscos/

Um outro que visitei hoje:

Diário de um professor – um blog sobre o tudo e sobre o nada… a educação e a escola são o pretexto (est. 2005)

JP

“Por alturas do dia 8 eu escrevia que me sentia perto do topo de uma enorme montanha, sem saber o que nos iria acontecer depois. Sugeri também que a FENPROF deveria quanto antes – e porque o deveria ter feito há muito tempo – construir uma proposta de avaliação do desempenho. Algo que fosse construído com os professores e que fosse assumido por todos, como a ‘nossa’ proposta.
Continuo a acreditar que ainda vai ser possível fazer isto… e o dia 25 de Abril seria um dia fantástico para apresentar a nossa proposta ‘libertadora’.”

JP – http://serprof.blogspot.com/

Os contextos são um pouco diferentes, mas os desafios são os mesmos dentro e fora da sala de aula.

Ser professor é ser mesmo herói?

 

Expectativas Março 30, 2008

Filed under: Uncategorized — Luciana @ 2:10 pm
Tags: , ,

Ser suporte para a construção da identidade pessoal, social e profissional dos futuros professores, tendo em vista o contributo – e as limitações – da interacção formativa promovida pelo trabalho em grupo”

Foi com este objectivo que nos lançámos neste projecto.

Mas, “já agora”, que contributos e limitações podemos identificar em trabalhos de grupo?

A resposta não é tão simples quanto parece… Afinal, como conseguimos aquela “alquimia” em que o todo (o grupo) é maior que a soma das partes?

 

Bem vindos! Março 9, 2008

Filed under: Uncategorized — aveirocoimbra @ 9:44 pm
Tags: , ,

Esperamos que este Blog venha a ser uma mais valia para a realização de um Projecto no âmbito do Desenvolvimento Pessoal e Interpessoal na Formação. Através de um parceria entre a Universidade de Aveiro e a Escola Superior de Educação de Coimbra queremos trabalhar a importância das relações dentro dos grupos de estágios no desenvolvimento do self. Com o tempo pretendemos elaborar um blog rico e dinâmico. Contamos contigo!

h_logo_ua.gif          esec.gif

 

 
Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.